Home

>

Logística

>

Termos logísticos: 35 termos que você precisa conhecer

Entenda tudo sobre os termos presentes em logística para se tornar um expert e aumentar as vendas em sua empresa de maneira eficiente e prática!

Produzido por  

Lucas Garcia

  -  

21/3/24 7:31

Termos logísticos: 35 termos que você precisa conhecer

No setor de logística existem diversos termos dos quais muitos empreendedores têm pouco ou, então, nenhum conhecimento. No entanto, conhecer os principais e mais importantes deles pode ajudar a encontrar as melhores soluções logísticas para a sua empresa. Continue lendo para conhecer a lista de 35 termos que separamos!

1. Backlog

Para a parte do processo logístico, o termo Backlog se refere à acumulação de pedidos ou trabalho que ainda não foi processado, gerando atrasos em sua grande maioria. Isso pode ocorrer por conta de uma alta demanda de um centro logístico, por exemplo.

Esse registro atua com a finalidade de ajudar no controle de pedidos e para identificar se estão com uma alta demanda ou não. Assim, é possível saber o que foi feito, o que precisa ser melhorado ou alterado e em quanto tempo ficará pronto para garantir que o pedido do cliente seja entregue no período prometido.

Indicamos que você desenvolva uma escala com os principais elementos para facilitar a atuação. Para isto, você pode desenvolver uma tabela com os seguintes critérios:

- Pequeno volume e pequena complexidade: PV e PC;

- Médio volume e média complexidade: MV e MC;

- Grande volume e grande complexidade: GV e GC.

A ideia é categorizar os trabalhos com menor volume primeiro, pois são mais rápidos de serem concluídos, assim como os de porte médio. No entanto, é fundamental alertar a equipe quanto aos de grande complexidade porque precisam da mesma atenção, principalmente se estiverem há um tempo em atraso.

2. Blocagem (Block Stacking)

Na logística, o termo block stacking se refere às cargas inseridas nos paletes fixos, sendo este, um método para economizar espaço e facilitar a sua locomoção pelo estoque.

Mas fique atento, porque muitas mercadorias são pesadas e, ao colocar pacotes grandes em cima dos menores e frágeis, há a possibilidade de problemas acontecerem, como o rompimento do plástico ou deformações no produto. 

3. Centro de distribuição (CD)

O centro de distribuição é o ambiente de armazenamento de produtos e despache em que ocorre a distribuição de pedidos aos clientes. É neste local que os principais processos de recepção, separação e encaminhamento são feitos.

Para facilitar a rotina dos colaboradores é fundamental definir um centro de distribuição com um layout adequado. Uma linha reta, por exemplo, permite que a entrada e saída de produtos aconteça rapidamente. Além disso, organizar os que têm mais saída perto do setor de separação agiliza o envio da mercadoria.

Conheça o Fulfillment Center, o espaço para armazenamento, separação e envio dos seus produtos!

‌4. CIF

CIF é a sigla para Cost, Insurance and Freight, traduzido como “custo, seguro e frete”, e quer dizer que o produto enviado já possui frete embutido em seu valor final. Gastos e riscos ficam sob a responsabilidade da sua empresa, enquanto o consumidor apenas se preocupa em receber o que foi adquirido de sua loja.

Um exemplo são as lojas que fazem promoções de frete grátis. O que essas marcas fazem é cuidar dos envios e seus respectivos valores, independente de quanto for cobrado.

‌5. CT-e

O Conhecimento de Transporte Eletrônico tem a função de registrar os serviços de cargas no Brasil. Seu principal diferencial é ser um documento eletrônico obrigatório para os setores rodoviário, aéreo, ferroviário e aquaviário.

Entenda também que o CT-e substitui diversos documentos que antes eram obrigatórios para todas as empresas emitirem. Criado em 2007 pelo Conselho Nacional de Política Fazendária, o documento se tornou obrigatório para especificar o tipo de serviço feito, mesmo que fosse realizado pelo tipo aquaviário, rodoviário, dutoviário, ferroviário ou aéreo.

6. Cubagem

A cubagem em logística significa o peso do produto e o espaço no qual ocupará em um veículo contratado para o frete. Para obter estas informações, é necessário realizar um cálculo para saber qual o transporte adequado para a sua mercadoria:

- Rodoviário, 1 m³: 300 kg;

- Aéreo, 1 m³: 266, 7 kg;

- Marítimo, 1 m³: 1.000 kg.

Além disso, o espaço e o peso do produto impactam diretamente no valor do frete. Suponhamos que o seu cliente tenha feito a compra de uma máquina de lavar com o peso de 8,5 kg e tenha as dimensões de 106 cm x 54 cm x 62 cm, considerado de porte grande, o valor cobrado será de R$ 84,95, e que terá de ser pago no ato da compra. 

‌7. DANFE

O documento auxiliar da nota fiscal eletrônica é uma NF-e simplificada, utilizada para manter em ordem a circulação de todas as mercadorias enviadas. Caso você não realize a emissão, os produtos não podem ser mandados aos clientes e você ainda corre o risco de receber uma multa da fiscalização.

Inclusive, a emissão da DANFE garante que ambas as partes possuam o registro de que ocorreu o recebimento do pacote e, caso qualquer problema aconteça, é possível comprovar as informações também por este documento. Vale lembrar que na Cubbo você conta com uma automatização de notas fiscais para o seu negócio!

8. Difal

Difal significa “diferencial de alíquota do ICMS” e trata do percentual de compra e venda interestadual. Neste caso, em todos os momentos em que os clientes fizerem uma aquisição, você precisa fazer o cálculo para pagar a quantia correta deste imposto.

Esta cobrança acontece porque tanto o estado de origem, quanto a cidade-destino realizam a divisão dos tributos para que determinadas regiões não tenham prejuízos. Dessa forma, o Difal é cobrado para ocorrer a circulação das mercadorias e prestação de serviços ou entrega dos produtos solicitados ao cliente.

‌9. Dropshipping

O dropshipping é um serviço em que a sua empresa atua como uma espécie de intermediária entre o fornecedor e o consumidor. Ou seja, você não tem um estoque de armazenamento, mas a empresa que fornece os produtos adquiridos pelos clientes realiza o envio do que foi solicitado.

Por cada venda realizada, você recebe uma margem de lucro equivalente, possibilitando ter ganhos financeiros frequentes. Não há a necessidade de pagar pelo estoque e muito menos abrir uma empresa grande apenas para fazer o gerenciamento de produtos. No entanto, é indispensável ter atenção quanto a uma série de fatores:

- A escolha de fornecedores;

- Definição de produtos de apenas um ou dois nichos;

- Boa competitividade no preço do frete;

- Comunicação eficiente entre você, o fornecedor e o cliente.

10. ERP

O Sistema de Planejamento de Recursos Empresariais” é um software que possibilita a administração completa de sua empresa, desde a cadeia de suprimentos e produção até o controle logístico, de forma simples e rápida.

Ao trabalhar com o ERP, fica mais fácil e rápido obter insights importantes para prevenir erros e verificar possibilidades de melhorias, garantindo, assim, que os riscos sejam menores à companhia.

11. FCA

FCA significa fato, causa e ação, e é uma análise eficiente para verificar problemas e desenvolver soluções que auxiliem a corrigir falhas na empresa. Ou seja, pense que o seu negócio vende cosméticos para o público-alvo feminino, porém em janeiro os lucros não atingiram os R$200.000 previstos neste mês.

Dessa forma, torna-se necessário entender qual a causa do problema para desenvolver uma ação eficiente e impedir que ocorra novamente. Para isso, você pode trabalhar com a técnica dos "5 porquês", como no exemplo abaixo:

- Por que os produtos foram enviados com atraso e entregues em um tempo maior que o esperado? "Porque a postagem foi demorada";

- Por que os produtos tiveram atraso? "O prazo do fornecedor fazer a entrega estourou";

- Por que o fornecedor atrasou? "Porque os produtos solicitados estavam indisponíveis";

- Por que os produtos não estavam disponíveis? "Porque o fornecedor teve problemas com a matéria-prima";

- Por que o fornecedor não solicitou com antecipação a matéria-prima? "Porque houve descontrole no gerenciamento de estoque".

Observe que temos respostas para as 5 perguntas e já na sequência é possível criar um plano de ação para impedir que a falha (ou, no caso, o não atingimento da meta estabelecida) aconteça novamente. 

12. FIFO

O termo First In, First Out, significa “o primeiro a entrar e o primeiro a sair” e, na logística, refere-se à chegada de produtos no seu estoque e a necessidade de priorizar as vendas mais importantes.

Neste caso, os produtos que chegaram antes precisam ser vendidos o quanto antes. Muitas empresas de logística adotam esta metodologia para ter controle das mercadorias e garantir que saiam antes da "validade" da entrega. Para esses casos, conte com a entrega no mesmo dia da Cubbo!

13. First Mile

First Mile é o primeiro passo da logística e consiste no envio de produtos do fabricante até o centro de distribuição ou coleta da marca. Para o processo ter um resultado positivo, é necessário ter um bom planejamento a fim de garantir que erros não aconteçam e os pedidos sejam entregues no tempo solicitado.

Além disso, é importante saber que o First Mile não é feito apenas para recebimento de mercadorias no Brasil. Na verdade, é fundamental se preocupar também com todas as etapas logísticas do produto que virá do exterior, pois existem alguns processos que incluem transporte aéreo e marítimo e organização das cargas, como o embalo e armazenamento.

14. Fulfillment

O fulfillment envolve diferentes operações para garantir que o cliente receba a compra dentro do prazo. Esse serviço é responsável por armazenar o estoque da marca, emitir as notas fiscais do produto, separar a venda, embalar, escolher a melhor transportadora e realizar o envio até o cliente.

Dessa forma, a empresa não precisa se preocupar com a geração de NF e nem com a escolha da transportadora, muito menos com a entrega do pedido, porque a sua parceira resolve todos os processos de maneira simples e rápida.

15. GRIS

O “gerenciamento de risco” é uma taxa que está ligada diretamente ao frete para garantir que a mercadoria fique protegida até a entrega. Ou seja, o GRIS é aplicado como uma cobertura e medida de segurança para evitar prejuízos, caso aconteça da carga ser roubada durante o transporte.

No entanto, é necessário saber que o GRIS é cobrado para envios de produtos de alto valor, como computadores, notebooks, celulares, demais eletroeletrônicos e eletrodomésticos para assegurar caso ocorram extravios ou outros problemas no caminho. Além disso, também é cobrado para cargas de grande porte de medicamentos ou alimentos.

‌16. HUB Logístico

Esta é uma estratégia frequentemente utilizada para tornar a distribuição dos produtos mais rápida e simples. O controle é feito através de um setor da empresa, que fica responsável por trabalhar com os processos de transporte, coordenação e o envio de compras não apenas para o Brasil, mas para regiões internacionais também.

Através da logística de HUB, é possível realizar entregas mais rápidas para todos os estados brasileiros e ainda contar com outros benefícios como:

- Melhora do relacionamento com os clientes;

- Operações mais rápidas e eficientes;

- Redução de gastos;

- Diminuição de erros.

17. JIT

Just In Time é uma técnica de gestão para produção que auxilia em um maior controle de todo o estoque, permitindo que a empresa tenha redução de compras, não ultrapasse o teto de gastos e evite o desperdício de matéria-prima por não haver rotatividade.

A prática foi desenvolvida no Japão pela Toyota durante as décadas de 1940 e 1950, período da 2ª Guerra Mundial, quando os gastos precisavam ser controlados. Nessa época, a sociedade se recuperava da perda de materiais, dessa forma, era necessário ter cuidado com os produtos para desenvolver e fabricar veículos de forma bem pensada.

18. Kitting

O Kitting é uma metodologia que une partes de um produto (mais conhecido por "kit") para agilizar o processo de montagem e prevenir que falhas aconteçam. Os produtos são repassados aos profissionais do centro de distribuição que desenvolverão o item e realizarão o envio do kit pronto ao cliente.

19. KPI

O Key Performance Indicators é uma metodologia utilizada para analisar o desempenho de todos os processos realizados pela empresa. As informações apresentam a performance que a sua marca teve desde que obteve a matéria-prima até realizar o envio da mercadoria ao cliente.

Para ter um controle pleno sobre o produto, existem determinados KPIs que permitem acompanhar cada tipo de tarefa. Dentre eles, podemos mencionar o tempo de entrega — em que você analisa o período que leva para a compra ser entregue ao cliente —, assim como estes exemplos:

- Tempo de ciclo: mede o período que leva para a produção ser finalizada, a contar do dia em que a matéria-prima foi adquirida, até o envio do produto;

- Taxa de erro nos pedidos: tem a função de verificar o percentual de pedidos que possuem erros;

- Nível de estoque: serve para verificar o consumo médio dos pedidos feitos no estoque;

- Custos com o transporte: verifica a porcentagem de entregas feitas no prazo prometido aos clientes;

- Taxa de devolução: calcula o percentual de mercadorias devolvidas.

Através destes KPIs você tem mais controle sobre o que acontece na empresa, monitora os gastos, acompanha o desempenho dos envios e identifica com facilidade possíveis erros para revertê-los com agilidade.

20. Lead Time

O Lead Time é o prazo que uma compra leva para ser entregue ao seu consumidor, incluindo informações como momento da aquisição, produção, envio e entrega. Considere que este é o tempo para a matéria-prima ficar pronta ou o produto ser entregue no estoque para os colaboradores realizarem as devidas finalizações e o enviarem ao destino necessário.

- Lead time compras: tempo entre o pedido do produto ao fornecedor e envio até a empresa (este prazo impacta à entrega ao seu consumidor);

- Lead time produção: período levado para desenvolver da matéria-prima ao produto final;

- Lead time entrega: tempo entre a confirmação da compra e entrega.

No primeiro caso, que é o processo de compra feito com os fornecedores, é necessário estar muito atento para a escolha deles. Caso não sejam adequados, é possível que atrasos aconteçam com o envio do produto e isso afete o seu cliente.

‌21. LIFO

Last In, First Out significa “o último que chega é o primeiro a sair”. Diferente do FIFO, os envios de produtos ocorrem sempre quando o último pedido for entregue ao estoque. Os primeiros levam um prazo maior para serem mandados aos clientes, pois o que define aqui é a validade das mercadorias.

Por exemplo, se você tem clientes atacadistas, é muito comum que o envio de alimentos seja feito primeiro, se comparados aos de higiene, como papel higiênico ou produtos para cabelo. Afinal, eles levam um tempo maior para vencer e não ficarão impróprios ao consumo.

22. Logística Inbound

A logística inbound reúne desde as conversas e pedidos feitos aos fornecedores, até a obtenção de matéria-prima para o seu negócio. Através desta prática é possível ter um maior controle a respeito dos bens e sobre a chegada dos insumos necessários para o desenvolvimento do produto.

O processo possui diversas atividades fundamentais que possibilitam o trabalho ser feito adequadamente, evitando erros. É indispensável verificar as seguintes especificações para ter mais controle dos fornecedores:

- Pesquisa de fornecedores;

- Gestão dos fornecedores;

- Estocagem de produtos;

- Administração de dados;

- Auditoria eficiente;

- Controle de estoque;

- Recebimento de produtos, bem como insumos;

- Envio do fornecedor até a sua empresa.

Ao adotar esta prática, você consegue desenvolver um relacionamento duradouro com os fornecedores, além de melhorar o período de entrega dos pedidos. Assim, previne-se atraso com entregas para os clientes receberem as compras no prazo prometido.

23. Logística Integrada

A logística integrada é um dos principais processos de uma cadeia de suprimentos. Ela te permite fazer um gerenciamento completo de produtos, a partir de ferramentas utilizadas que conseguem coletar dados e mantê-los organizados para serem analisados com mais eficiência.

É fundamental saber que existem algumas áreas importantes presentes nesta integração, que incluem a administração de materiais, movimentação de matéria-prima e distribuição. Deste modo, é possível obter mais lucratividade e tornar o negócio mais competitivo, controlando falhas e proporcionando o melhor serviço aos clientes.

24. Logística Outbound

A logística de outbound trabalha com a pesquisa, gestão de fornecedores, estocagem, administração dos dados e controle de estoque. É possível saber qual o período de recebimento das matérias-primas e quanto tempo levará para o fornecedor realizar o transporte.

Através desta metodologia se torna viável desenvolver excelentes parcerias com os fornecedores, melhorar o recebimento de produtos e ter um giro de estoque eficiente. Além disso, também é possível reforçar toda a segurança do CD (centro de distribuição) e garantir que perdas significativas não aconteçam.

25. Middle Mile

O Middle Mile, ou milha intermediária, é um transporte feito através de meios aéreos e rodoviários. Assim, é possível receber os pedidos diretamente no seu centro de distribuição para organizar as mercadorias e realizar o envio quando os consumidores fizerem as compras.

No processo, acontece a identificação e transferência de todos os pedidos para as regiões de distribuição. As cargas podem levar um tempo maior para chegar ao destino e, por isso, é necessário fazer os pedidos com antecedência a fim de receber as mercadorias dentro do prazo.

‌26. NF-e

A nota fiscal eletrônica é um importante documento que permite especificar a venda do produto ou serviço para os clientes. O diferencial é que a NF-e é emitida no meio digital e todos os compradores podem verificar as informações através de uma chave enviada ao e-mail e realizar o download do arquivo XML.

27. OMS

Order management system, ou sistema de gerenciamento de pedidos, é um software responsável por coletar informações sobre a entrada de mercadorias, estoque e processo de atendimento no pré e pós-venda.

É muito comum verificar a seguinte informação no momento de fazer a compra em uma loja digital: “Corra! Último disponível”. Esta é uma ferramenta inteligente que o OMS oferece para garantir que os clientes adquiram o que tem interesse de forma rápida.

28. Packing

O packing é o processo de empacotamento dos produtos para serem enviados aos clientes após a conclusão de pagamento. Nessa etapa, é indispensável utilizar proteções (como isopor ou plástico bolha, por exemplo) para armazenar adequadamente o produto e impedir que ele quebre ou amasse durante a entrega.

29. Picking

Já o picking consiste na separação e preparação das mercadorias adquiridas para enviar ao endereço dos clientes. O processo acontece por diferentes formas (via onda, lote, zona ou discreto) e a seleção das opções varia de acordo com o tipo de pedido e a quantidade de profissionais disponíveis para trabalhar nesta função.

No picking discreto apenas um profissional manuseia o item, enquanto no de onda mais compras são separadas e feitas em períodos agendados. A zona acontece com a divisão do estoque por tipos de produtos e o lote se refere a uma quantidade de pedidos acumulados antes de passarem pela separação.

30. SaaS

Software as a service é uma solução desenvolvida em nuvem que possibilita melhorar operações de logística da sua empresa. Esta é uma maneira simples de não fazer o download de nenhum software para a sua máquina, permitindo que a resolução de quaisquer problemas sejam feitas online.

Para ter um exemplo prático sobre o que é o SaaS, pense nos serviços de streaming e armazenamento em nuvem. Os usuários conseguem acessar as informações e conteúdos que precisam em instantes, sem a necessidade de fazer download para verificar os conteúdos.

31. Same Day Delivery

Same day delivery significa “entrega no mesmo dia”, e é um serviço de logística indispensável para empresas de pequeno a grande porte. Por se tratar de um processo eficiente — e que dispensa o uso de serviços demorados dos Correios — muitas organizações têm o adotado para conquistar mais consumidores e fidelizá-los com eficiência.

‌32. TMS

Transportation Management System (Sistema de Gerenciamento de Transporte) é uma plataforma voltada ao meio de logística e permite que as organizações planejem, executem e melhorem o trabalho das mercadorias físicas. É possível verificar se os documentos estão em ordem, se os produtos estão completos no estoque e a quantidade disponível.

Com esta metodologia, existe a possibilidade de controlar todas as operações, verificar o processo de entregas e também manter o controle de cargas dos produtos. O TMS possibilita que você realize a análise de rentabilidade, verifique os custos e observe o processo de expedição e de faturamento com mais praticidade.

33. Trackage

É um serviço de avaliação que permite que você melhore o desempenho de toda a sua cadeia de suprimentos. Com ele, é possível controlar erros, reduzir gargalos e encontrar boas oportunidades para aprimorar o processo de logística. No entanto, é necessário saber que cada cliente possui o seu próprio processo e que existem variações em cada uma das etapas de compras.

34. Warehouse

O warehouse é um termo para se referir a um espaço físico, um galpão que armazena mercadorias. Eles são usados por diferentes empresas para guardar e organizar produtos antes de serem enviados aos clientes.

Além de guardar coisas, os armazéns também oferecem serviços extras, como organizar estoques, juntar várias mercadorias em um só lugar, embalar produtos e, às vezes, até montar produtos finais, como em um fulfillment center.

‌35. WMS

O warehouse management system significa sistema de gerenciamento de armazém e é um software que auxilia no gerenciamento e otimização de processos de logística. Ao fazer a utilização da ferramenta, você consegue saber exatamente o que acontece no estoque, conferir se ainda há produtos disponíveis e solicitar reposição do que for necessário.

Trabalhar com esta tecnologia é indispensável, pois permite que você reduza gastos e saiba a quantidade de produtos que permanecem disponíveis no centro de distribuição.

Para a sua empresa ter um crescimento eficiente em um mercado tão disputado, é fundamental utilizar os principais conceitos e serviços apresentados.

No entanto, confiar em uma empresa especializada que cuida de todo o armazenamento do seu estoque até o envio do produto ao cliente após uma venda vai dar a liberdade e economia que seu negócio precisa. Conheça a Cubbo, sua empresa de fulfillment e faça um orçamento para a terceirização da sua logística!

Quer saber mais sore Fulfillment? Veja também!